pedras na vesícula

Quais são as causas da pedra na vesícula?

Estima-se que a pedra na vesícula seja uma condição que afete mais de 10 milhões de brasileiros. Embora seja um problema comum ao qual todos estão suscetíveis, existem alguns fatores que aumentam as chances de desenvolver este quadro.

Você conhece as condições que podem causar a formação dessas pedras? Caso não, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

O que é a pedra na vesícula?

Trata-se de uma doença caracterizada pela formação de cálculos no interior da vesícula biliar. Esses cálculos podem ser do tamanho de grãos de areia ou atingir o formato de pequenas pedras. Além disso, o paciente pode apresentar um único cálculo ou dezenas.

Ainda, a vesícula está localizada abaixo do fígado e tem como principal função o armazenamento da bile, uma substância produzida pelo fígado e que atua no processo de digestão das gorduras dos alimentos.

Ademais, a bile atua na dissolução de gorduras e só é liberada quando existem alimentos sendo digeridos pelo estômago. Caso contrário, a saída da via biliar fica fechada e a substância permanece armazenada na vesícula.

Assim, em função do tamanho desse reservatório, o organismo concentra o máximo de bile possível, tornando-a mais espessa. Porém, quando há algum desequilíbrio, essa substância se solidifica, formando as pedras na vesícula.

Quais são as causas?

A colelitíase, como também é chamada, tem origem no desequilíbrio da composição da bile. Apesar da causa para esse desequilíbrio ainda não ser conhecida, existem fatores de risco que tornam uma pessoa mais suscetível ao problema. Esse fatores são: 

  • ser do sexo feminino;
  • ter mais de 60 anos;
  • jejum prolongado;
  • tabagismo;
  • predisposição genética;
  • grandes perdas de peso em pouco tempo;
  • alimentação rica em gorduras e carboidratos, e pobre em fibras;
  • uso contínuo de anticoncepcionais ou elevação no nível de estrogênio;
  • diagnósticos de cirrose, hipertensão, obesidade, diabetes, doença de Crohn ou anemia falciforme;
  • estilo de vida sedentário, com elevação da taxa de colesterol LDL e redução da taxa de colesterol HDL.

Quais são os sintomas?

Na maioria dos casos, os cálculos na vesícula são assintomáticos e pequenos, sendo eliminados nas fezes sem que o paciente perceba. Porém, quando aumentam de tamanho, as pedras se tornam maiores que o orifício de saída da vesícula.

Nesses casos, surgem os primeiros sintomas, pois obstruem o canal, fazendo com que a vesícula se contraia para eliminar a bile, aumentando a pressão no interior do órgão e causando a típica e temida cólica biliar.

Ademais, essa dor é sentida no lado direito do abdômen e costuma aparecer após as refeições e desaparecer depois que todos os alimentos passam pelo duodeno. Ademais, se a obstrução permanecer, a vesícula pode inflamar, favorecendo a proliferação de bactérias, causando uma infecção e febre.

Enfim, a presença de pedra na vesícula não traz grandes riscos à vida do paciente, mas pode causar muito desconforto. Por isso, é necessário estar atento aos sintomas e procurar um médico assim que possível.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp