Gordura no fígado

Gordura no fígado: o que é?

O fígado é um órgão resistente, capaz de aguentar décadas de agressões sem manifestar nenhum sintoma. Embora essa robustez seja uma vantagem, ela também pode mascarar diversos problemas de saúde, como a esteatose hepática, ou gordura no fígado, como é conhecida.

Você sabe como esse quadro se desenvolve? Conhece os primeiros sinais de que há algo errado? Caso não, recomendamos a leitura deste post. A seguir, responderemos a todas as suas dúvidas a respeito do tema.

Entenda a esteatose hepática

Em suma, a esteatose hepática é uma condição que se desenvolve quando as células do fígado passam a ser infiltradas por células de gordura. A presença de gordura nesse órgão é normal. Dessa forma, o problema se dá quando cerca de 5 a 10% do fígado é composto por essas células.

Ainda, a gordura no fígado é uma doença passível de tratamento e cura. No entanto, caso o paciente não procure ou não receba o tratamento adequado, o quadro pode iniciar uma inflamação no órgão e evoluir para uma cirrose.

De modo geral, a esteatose hepática pode ser dividida em dois diferentes tipos: doença gordurosa alcoólica do fígado e doença gordura não alcoólica do fígado. No primeiro caso, é uma condição provocada pelo consumo abusivo de álcool.

Já o tipo não alcoólico não tem relação com uso dessa substância, mas com outras doenças adjacentes e/ou manutenção de um estilo de vida prejudicial à saúde. Neste sentido, é fundamental buscar o diagnóstico de modo a identificar a sua causa.

Quais os sintomas?

Geralmente, a gordura no fígado é uma doença assintomática, ou seja, não produz nenhum sintoma. Nesses casos, o seu diagnóstico ocorre a partir de exames de imagem realizados com outro objetivo.

Além disso, quando os sintomas estão presentes, o paciente tende a estar mais cansado e sentir um pequeno desconforto no lado superior do abdômen. Nesse sentido, em situações menos comuns, pode desenvolver complicações, como as cicatrizes hepáticas.

Caso esta condição se torne grave, pode desencadear a cirrose. Assim, o paciente apresenta perda de apetite, fraqueza, fadiga, perda de peso, hemorragia nasal, comichão na pele, icterícia, dor e inchaço abdominal, confusão e aumento de mama nos homens.

Como é causada?

Quando a doença gordura do fígado é alcoólica, está diretamente ligada ao consumo excessivo dessa substância. Por outro lado, quando não alcoólica, pode ter relação com as seguintes condições:

  • inflamação crônica do fígado;
  • sobrepeso e obesidade;
  • resistência à insulina;
  • colesterol e triglicerídes alto;
  • perda ou ganho rápido de peso;
  • hepatites virais;
  • uso de determinados medicamentos;
  • hipertensão arterial;
  • uso de esteroides anabolizantes;
  • realização de cirurgias abdominais;
  • ganho ou perda súbita de peso.

Além disso, existem fatores que contribuem para o desenvolvimento da esteatose hepática, tais como, ascendência oriental ou hispânica, síndrome do ovário policístico, hipotireoidismo, síndrome metabólica, acúmulo de gordura abdominal e apneia do sono.

Então, como você pode perceber, a gordura no fígado é uma doença que precisa ser levada a sério. No entanto, pode se tornar uma condição grave e irreversível. Portanto, caso apresente algum dos sintomas mencionados, procure a orientação do seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp