Colesterol

Colesterol: qual a diferença entre HDL e LDL?

Provavelmente, você já ouviu falar sobre os perigos do colesterol. Porém, diferente do que muitos imaginam, não basta apenas acompanhar a taxa de colesterol total, mas sim conhecer os níveis de HDL e LDL.

Você sabe o que essas siglas significam? Entende quais são os benefícios e malefícios dessas moléculas? Caso não, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos tudo sobre o assunto.

O que é o colesterol?

Trata-se de uma gordura que encontramos na estrutura das membranas celulares, fundamental para o bom funcionamento do organismo. O fígado produz cerca de 70% de todo o colesterol e os 30% restantes resultam dos alimentos que ingerimos.

Esse percentual fabricado pelo corpo é usado para a produção de alguns hormônios, tais como vitamina D, cortisol, estrógeno, testosterona e ácidos biliares. Quando há o consumo de alimentos ricos em gordura, o fígado produz uma quantidade excessiva de colesterol.

O que é o HDL?

A sigla HDL corresponde a expressão “High Density Lipoprotein”, que pode ser traduzida como Lipoproteína de Alta Densidade. Essa molécula realiza o transporte reverso do colesterol, retirando as moléculas que estão em excesso no sangue e nos tecidos para que sejam processadas pelo fígado e eliminadas pelo intestino.

Assim, o colesterol HDL impede que haja o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos, prevenindo a ocorrência de doenças cardiovasculares. Por isso, a Lipoproteína de Alta Densidade é o “colesterol bom”.

Ademais, para melhorar os níveis de HDL no sangue recomenda-se o consumo de alimentos que sejam fontes dessa molécula, tais como, abacate, castanhas, amendoim, sardinha e peixes de águas profundas, como o salmão.

Ainda, para manter o equilíbrio das taxas de colesterol, é preciso considerar os valores de referência para cada tipo de lipoproteína. No caso do HDL, o nível dessa molécula precisa estar acima de 60 mg/dL.

O que é o LDL?

Diferente do HDL, a sigla LDL deriva da expressão “Low Density Lipoprotein”, que significa “Lipoproteína de Baixa Densidade”. Quando alguém está com o colesterol alto, ela tende a se referir ao LDL, o “colesterol ruim”.

Ainda, essa lipoproteína transporta o colesterol do fígado e do intestino delgado para as células e tecidos. No local, atua na produção da membrana celular, da vitamina D, dos ácidos biliares e dos hormônios esteróides.

Contudo, se estiver em excesso, o LDL se acumula no interior das artérias, formando placas rígidas que obstruem a passagem de sangue pelas artérias, ocasionando a aterosclerose que, consequentemente, pode levar ao Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Sendo assim, para evitar essa condição, diminua o consumo de alimentos ricos em gorduras, como refrigerantes e frituras, e pratique atividades físicas. Ademais, no que diz respeito aos valores de referência, o ideal é que o nível de LDL esteja abaixo de 130 mg/dL.

Então, com a leitura deste post, você conheceu os pontos mais relevantes sobre o colesterol e as lipoproteínas LDL e HDL. Portanto, tenha um estilo de vida saudável e procure manter o acompanhamento dessa taxa através do exame de sangue.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp