hérnia inguinal

Hérnia inguinal: como é o tratamento?

As hérnias se caracterizam pelo deslocamento de algum órgão para fora da sua posição original através de uma abertura no músculo ou no tecido. Essa condição pode se manifestar de diferentes formas, sendo as mais comuns: hérnia inguinal, de hiato e de disco.

Quando inguinal, o problema se dá na região da virilha ou no saco escrotal. Você já ouviu falar nesse tipo de hérnia? Conhece as principais alternativas de tratamento? Caso não, recomendamos a leitura deste post.

O que é a hérnia inguinal?

Trata-se de uma protuberância que se desenvolve na área inguinal e que, geralmente, está relacionada com a saída de conteúdo intestinal para fora da cavidade abdominal. Esse quadro pode se manifestar de duas formas:

  • direta: quando é provocada pelo excesso de esforço físico, fazendo com que haja um aumento de pressão no abdômen. Esse tipo é mais comum em adultos e idosos;
  • indireta: é um quadro congênito que possibilita a entrada de parte do intestino na região da virilha ou do saco escrotal. Como está presente desde o nascimento, é mais diagnosticada em bebês e crianças.

Ainda, a hérnia inguinal indireta é o tipo mais diagnosticado, estando presente em cerca de 5% dos recém-nascidos, principalmente nos bebês prematuros. A direta é mais comum nos homens, acometendo cerca de 30% da população masculina.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais característico de hérnia inguinal é a formação de uma protuberância de consistência mole na virilha ou no saco escrotal, especialmente no lado direito. Na maioria dos casos, essa saliência é visível quando o paciente realiza algum tipo de esforço, tais como, chorar, tossir, carregar pesos ou evacuar.

Além disso, esse tipo de hérnia também pode provocar dor ou desconforto na virilha e sensação de peso na região afetada. Geralmente, é possível empurrar a hérnia de volta para o seu lugar de origem. 

No entanto, ela pode não se mover, sendo chamada de hérnia não redutível. Nesses casos, há um risco maior de estrangulamento, ou seja, o conteúdo intestinal pode ser comprimido pelos tecidos ao redor, reduzindo o aporte de sangue. Quando isso ocorre, o paciente pode apresentar:

  • febre;
  • náuseas e vômitos;
  • irritação ou choro persistente (bebês);
  • interrupção das evacuações e da eliminação de gases;
  • dor súbita e intensa.

Como é o tratamento para hérnia inguinal?

Em alguns casos, as hérnias são pequenas e não provocam nenhum tipo de sintoma. Por isso, não são todos os pacientes que precisam realizar o tratamento, bastando apenas o acompanhamento médico do quadro.

Ainda, quando o tratamento é necessário, a cirurgia é o procedimento padrão e pode ser realizada por videolaparoscopia ou pelo método convencional. No primeiro caso, a recuperação é mais rápida e a cirurgia é menos invasiva.

Ademais, nos casos em que há o estrangulamento da hérnia, a cirurgia deve ser realizada em caráter emergencial. Isso porque a compressão de parte do intestino pode levar a um processo de necrose.

Outrossim, o objetivo da cirurgia é reduzir o defeito da hérnia. Geralmente, esse propósito é alcançado com a fixação de telas cirúrgicas no orifício que permitiu a protusão da hérnia. Durante a recuperação, o paciente deve evitar levantar peso e não pode realizar atividades físicas intensas.

Portanto, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre a hérnia inguinal, seus sintomas e tratamentos. Assim, esteja atento a presença de sintomas e, caso note algo suspeito, converse com seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte! 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp