colelitíase

Colelitíase: sintomas e fatores de risco

A colelitíase ou litíase biliar é uma condição caracterizada pela presença de cálculos biliares. Esses cálculos são formados quando o líquido armazenado no órgão (bile) se cristaliza, dando origem às famosas pedras na vesícula.

Vale destacar que a bile contém água, gordura, colesterol, proteínas, sais biliares e bilirrubina. Quando há o excesso de colesterol e bilirrubina concentrado na bile, sob determinadas condições, o líquido pode se solidificar, formando assim os cálculos biliares.

Geralmente o quadro é detectado a partir de ultrassom. Os cálculos biliares podem ser descobertos eventualmente, em exames de rotina ou depois de crises de cólica e outros sintomas agudos.

Quer saber mais sobre a colelitíase? Leia o artigo completo e descubra quais são os principais sintomas e fatores de risco. Boa leitura!

Quais são os fatores de risco dos cálculos biliares?

Vários aspectos podem influenciar no desenvolvimento das pedras na vesícula, entretanto, ter um ou mais fatores de risco não é uma sentença absoluta para a colelitíase. Entre as características que aumentam a propensão estão as seguintes:

  • Idade a partir de 60 anos
  • Ser do sexo feminino
  • Gestação
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Dieta rica em gordura
  • Dieta pobre em fibras
  • Histórico familiar de pedras na vesícula
  • Emagrecimento rápido
  • Diabetes

É possível evitar ou controlar boa parte desses fatores, especialmente os que dizem respeito aos hábitos alimentares e ao peso. A vida sedentária e a má alimentação, por exemplo, aumentam o risco de obesidade e de elevação do mau colesterol. Consequentemente, favorecem o surgimento das pedras na vesícula.
Quais são os sintomas de colelitíase?

São variados os sintomas de cálculos biliares. A manifestação mais marcante é a ocorrência de fortes crises de cólica biliar. Essas crises começam subitamente como consequência da obstrução temporária do duto cístico (canal de saída da vesícula) por um cálculo.

A dor é intensa e persistente. Ela se concentra inicialmente no quadrante superior do abdome. A intensidade da dor aumenta rapidamente e a duração pode ir de 30 minutos a muitas horas, a depender do tamanho da pedra e se a vesícula está inflamada (colecistite), se há infecção, se o paciente foi medicado, etc.

Cumpre salientar que a sensação dolorosa pode irradiar para o ombro e para as costas. A pessoa fica extremamente desconfortável e pode ter episódios de náuseas, vômitos, febre. De modo geral, as crises ocorrem depois de alimentação gordurosa, sendo mais frequentes à noite.

Em alguns casos, o quadro de colelitíase é assintomático. É o que chamamos de cálculos silenciosos, pois não atrapalham o funcionamento da vesícula, pâncreas ou fígado. Nessas situações, o paciente consegue conviver com a condição e o tratamento cirúrgico não é necessário em um primeiro momento, entretanto, é recomendável acompanhar a presença dos cálculos.

Quer saber mais sobre a colelitíase? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião em Belo Horizonte!

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Diego Paim